NOTÍCIAS

ACIP


Vouchers ajudam a manter clientes durante a crise

ÚLTIMAS

NOTÍCIAS

Entre as diferentes naturezas de negócios atingidos diretamente pela crise do novo coronavírus, os bares estão entre os principais afetados. A restrição de aglomerações levou os estabelecimentos de todo o país a baixarem as portas. Não há certeza sobre quanto tempo essa situação irá durar.

Diante desse cenário, empresários precisam usar a criatividade para reduzir as perdas, equilibrar o caixa, evitar demissões e até mesmo encerrar definitivamente as atividades. Nesse contexto, uma das principais estratégias que vem sendo utilizadas pelos proprietários é a venda de vouchers.

Cesar de Ranieri é proprietário do pub Kia Ora, bar localizado no bairro do Itaim Bibi em São Paulo. Aberta desde 2004, a casa aposta em música ao vivo e tem capacidade para até 500 pessoas.

O empreendedor tem uma equipe de 50 funcionários diretos e outros 100 indiretos; é um dos que adotou a estratégia da venda de vouchers para seus clientes.

A proposta de César é vender aos seus clientes um voucher de R$ 50, que será convertido em um de R$ 100 de consumação, assim que a casa reabrir.

“Nos pareceu interessante realizar a venda dos vouchers para gerarmos uma receita e ao mesmo tempo estimular o nosso cliente, que também está sofrendo com toda essa situação”, relata.

Além de reforçar a ação com voucher, a analista de Alimentos e Bebidas da Unidade de Competitividade do Sebrae Nacional, Mayra Monteiro Viana, destaca que a interação com o cliente é fundamental em um momento como esse.

“É comum que os consumidores já sigam seus bares preferidos nas redes sociais. Para manter o consumidor engajado, os bares podem realizar postagens de dicas de elaboração de drinks dentro de casa, harmonização com comidas e até mesmo lives de shows em parceria com artistas locais.

Essa é uma nova forma de entretenimento, que manterá o cliente por perto”, explica a especialista.

Como elaborar os vouchers

- Escolha quais serviços serão oferecidos para a venda antecipada e quais as condições, incluindo a eventual necessidade de cancelamento;

- Defina qual será a vantagem para o cliente na compra antecipada. Exemplos: valor promocional de consumação, brinde personalizado com a marca ou produto/ serviço preferencial;

- Defina quais os meios de pagamentos disponíveis;

- Organize muito bem a planilha das vendas antecipadas, deixando essa lista disponível e atualizada para todos os envolvidos. Transparência é fundamental;

- Já existem aplicativos que organizam esse serviço, busque pela melhor opção. Alguns meios de pagamento também já oferecem essa alternativa;

- Divulgue a venda antecipada primeiro aos clientes mais fiéis e depois ao mercado em geral. Isso gera a sensação de proximidade e de preferência;

- Use as redes sociais para venda antecipada: Whatsapp, Tik Tok, Instagram, Facebook;

- Em todas essas alternativas anteriores, é fundamental que todo o planejamento da venda antecipada seja debatido e definido junto à equipe. O engajamento dos parceiros é fundamental.

Fonte: Diário do Comércio
Últimas Noticias
Câmara cria projetos de Refis do coronavírus

Enquanto o ministro Paulo Guedes (Economia) acena com o refinanciamento de impostos por causa da crise do coronavírus, a Câmara já se movimenta para definir regras do programa a ser criado.

Conforme mostrou a Folha no domingo (...

Brasil fecha 1,1 milhão de vagas com carteira assinada

Impactado pela crise do novo coronavírus, o mercado de trabalho brasileiro perdeu 1,1 milhão de empregados com carteira assinada entre março e abril deste ano.

O efeito da Covid-19 no emprego começou em março, ma...

Câmara inclui empresas do Simples na Lei do Contribuinte Legal

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (27) projeto de lei que inclui as empresas do Simples em nova modalidade de negociação de dívida tributária com a Fazenda e que prorroga o prazo para adesão ao sistem...