NOTÍCIAS

ACIP


8 dicas sobre sucessão familiar empresarial

ÚLTIMAS

NOTÍCIAS

Um estudo realizado pela Credit Suisse com pequenas e médias empresas suíças familiares aponta que 25% dos gestores gastam muito tempo e esforço no planejamento da sucessão da administração. Destas, apenas 30% conseguem sobreviver à segunda geração e o percentual cai ainda mais para 15% e 4% nas terceiras e quartas sucessões, respectivamente. Isso porque, muitas vezes, os fundadores destas empresas não têm sucessores dispostos a assumir o controle do negócio de seus pais. Na vizinha Áustria, cerca de 75% dos hotéis, por exemplo, são de propriedade familiar e precisarão ser entregues em breve para próxima geração. Lá, 63% dos entrevistados indicaram seu desejo de passar seus negócios a um membro da família e 25% esperam vendê-lo.

Já no Brasil, segundo o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas empresas (Sebrae), 80% de todas as companhias registradas, em setores variados, são familiares e podem estar enfrentando a mesma situação. Em comum, o fato de nem todos os filhos terem interesse em gerir o negócio da família. Por vezes, a veia empreendedora está lá, porém preferem criar um negócio do zero, de acordo com as próprias ideias. Então, como então planejar a sucessão familiar?

Para o especialista Jean-Philippe Weisskopf, professor doutor em Finanças na Ecole hôtelière de Lausanne (EHL), para a geração que chega ao negócio é importante entender suas aspirações, experiências e as competências de cada um e também deixar claro que o trabalho para uma empresa própria exige muitas vezes longas jornadas de trabalho, o que nem sempre é atraente. Segundo ele, em linhas gerais, quanto mais cedo começar a planejar uma transição, melhor. O professor estima um período de 10 anos o que, embora pareça muito tempo, até concretizar a transição a família irá trabalhar neste planejamento paralelamente ao trabalho ou aos estudos dos sucessores. Além disso, este momento é fundamental para ajudar os novatos a desenvolverem seu próprio estilo de gerenciamento e a implementar suas próprias ideias.

Confira as oito dicas da sucessão bem-feita elencadas pelo especialista:

1 - Elabore o planejamento de sucessão definindo os participantes, metas, funções de cada um e prazos;
2 - Deixe claro os direitos de cada herdeiro sobre a empresa;
3 - Seja claro com os sucessores sobre as vantagens e desvantagens de tocar os negócios e suas inconveniências;
4 - Seja transparente em todos os aspectos do negócio, a fim de evitar que a próxima geração tenha de enfrentar surpresas desagradáveis;
5 - Identifique se precisa de ajuda externa profissional;
6 - Tenha o negócio pronto e ordem para o grande dia e defina os papéis, em particular sobre questões relativas a financiamentos e investimentos;
7 - Assegure-se de que todos os aspectos legais e fiscais da empresa estejam em dia;
8 - Por fim, mas não menos importante, planeje seu futuro fora da empresa e aprenda a agir mais como consultor e menos como dono.

Fonte: Administradores
Últimas Noticias
Governo amplia rol de atividades dispensadas de licenças e alvará

Novas atividades foram enquadradas na modalidade de baixo risco. Na prática, 14 ramos econômicos foram incluídos na lista, podendo ser abertos sem a necessidade de alvarás e licenças prévias.

As altera&cced...

Nova versão do golpe do boleto faz mais vítimas

Com a chegada de um novo mês, o comerciante Eduardo Mello, de 49 anos, reuniu as contas que recebe por e-mail e pagou os boletos pelo internet banking, como de costume.

No entanto, uma das prestadoras de serviço — a empresa de c...

Previsão de demissões no comércio é a mais alta desde 2016

A confiança do empresário do comércio caiu 21% em maio na comparação com abril, o maior recuo mensal da série histórica elaborada pela CNC (confederação do setor). A queda levou o índice ...