NOTÍCIAS

ACIP


Startup ajuda empresas a fazer o preço certo de produtos

ÚLTIMAS

NOTÍCIAS

Depois de 16 anos trabalhando com vendas ramo de calçados, o mineiro Luiz Rocca lançou uma marca própria sapatos masculinos que leva o seu nome. À medida que o negócio crescia, contudo, ele começou a perceber que vendia, vendia e vendia, mas não via a cor do dinheiro no fim do mês. Algum empreendedor aí do outro lado se identificou?

A origem do problema de Luiz é algo extremamente comum à maioria das empresas de todos os tamanhos, mas especialmente perigoso para os pequenos negócios – e que a startup carioca Preço Certo promete resolver: a dificuldade em precificar corretamente um produto ou serviço.

A formação do preço de um produto não pode ser algo aleatório em uma empresa. Para precificar corretamente um produto ou serviço é preciso ter na ponta da língua as principais informações financeiras do negócio e como elas impactam o preço. E é aí que mora o problema, segundo Marcelo Roque, CEO da Preço Certo.

“Quando começamos, uma pesquisa do Sebrae mostrava que 52% das empresas que fechavam era por erro de análise de indicadores financeiros e preço”, diz.

Na prática, explica Roque, isso significa que muito empreendedores fazem a análise errada da projeção de capital de giro, do tamanho do estoque, de compra e venda dos produtos, além de desconsiderar informações importantes como o prazo de pagamento aos fornecedores e a taxa paga a operadora do cartão. E tudo isso tem impacto no preço, que precisa ser revisto, no mínimo, semanalmente.

A primeira versão do software da Preço Certo foi lançada em 2017 após ser testada em mais de três mil empresas. A ferramenta foi desenvolvida pela Finxi, uma empresa de tecnologia do?Rio de Janeiro da qual Roque também é sócio, em parceria com a Endeavor e com Roberto Assef, sócio da startup e um maiores especialistas em precificação do Brasil. Além do software, a startup oferece treinamento para o uso da ferramenta e apoio consultivo aos clientes.

Ao precificar corretamente, a rentabilidade do negócio aumenta. Segundo Roque, o uso do software para fazer o preço certo garante, no mínimo, um aumento de 20% no lucro da empresa, além da redução da necessidade de capital de giro em pelo menos 11 vezes. “Eu costumo dizer que faturamento é ego, lucro é ponto de vista e caixa é realidade.”

Como funciona

Ao acessar o programa, o cliente faz a configuração básica detalhando informações como o regime tributário, o patrimônio líquido e os custos fixos da empresa. Depois configura os meios de recebimento (à vista, cartão ou boleto) e qual a proporção de cada um no faturamento, além das taxas pagas às operadoras de cartão.

O próximo passo é cadastrar o produto e todas as informações de compra e venda, como custo de produção, fornecedores, entrega. A partir desses dados financeiros, o software da Preço Certo calcula o quanto aquele determinado produto necessita de capital de giro, a margem de lucro média, o ponto de equilíbrio. Dependendo da margem de lucro que o empreendedor quer obter com um produto, o programa calcula o preço pelo qual ele precisa ser vendido.

Empresas que tem um portfólio extenso de produtos não precisam cadastrar cada item individualmente no programa, já que a ferramenta permite a importação de dados de outros sistemas como o Excel, por exemplo.

O software monitora seis indicadores financeiros das empresas: o lucro ou prejuízo estimado no mês; a margem de contribuição média da empresa; ponto de equilíbrio operacional a partir do qual a negócio começa a ter lucro; capital de giro da empresa; lucratividade; e rentabilidade, que é a porcentagem de retorno em relação ao investimento feito.

A grande parte das empresas comete os mesmo erros. Vender sem ter controle de margem de contribuição do produto, ou seja, sem saber qual é o lucro real que cada produto dá ao negócio, descontando todos os itens que comem a margem de lucro, como impostos, frete grátis e a taxa do cartão de crédito, por exemplo.

A maioria dos empresários está sempre buscando uma fórmula mágica para vender mais, esquecendo-se do principal fator responsável pelo crescimento e validação do negócio, a margem de contribuição [porcentual do preço de venda que representa o lucro]. Hoje, os softwares para micro, pequeno e médio empresários não entregam este tipo de indicador. A Preço Certo faz com que os empresários tenham o total controle de seu financeiro”, analisa Roque.

“Fazia a matemática errada, vendia e não sobrava dinheiro”
 
Depois de quase ir à falência, o empresário Luiz Rocca conheceu o software da Preço Certo há cerca de três meses porque, confessa ele, precisava entender melhor os indicadores financeiros do negócio para saber até onde poderia ir.

Queria saber qual era o meu capital de giro, o meu lucro real. Antes eu fazia conta de padaria e achava que era apenas aplicar a margem que queria ganhar no produto, ou seja, fazia a matemática errada, vendia e não sobrava dinheiro, diz.

Segundo Rocca, ao não fazer o cálculo correto, com todas as variáveis que influenciam o preço do produto, ele errava na margem, pois não sabia quando precisava aumentá-la ou diminuí-la para ter um preço mais justo e fazer girar o estoque. No primeiro mês de uso do software, o faturamento mais que dobrou, conta ele.

A Preço Certo nasceu em 2016 com capital próprio e hoje tem uma equipe de 10 profissionais, todos treinados na área financeira que é o coração do negócio. Em pouco mais de dois anos de vida, a startup carioca passou por programas de aceleração como o InovaAtiva Brasil, plataforma Space do Sicoob e Scale-up da Endeavor. Em 2017, foi eleita a melhor startup do Brasil pelo programa Santander Empreenda 2017, com prêmio de R$ 100 mil. No início deste ano atingiu o ponto de equilíbrio do negócio e agora, segundo Roque, avalia a possibilidade de abrir uma rodada para captar recursos."

Fonte: Gazeta do Povo
Últimas Noticias
5 boas maneiras para se reduzir custos nas empresas

A garantia de bons resultados tem sido cada vez mais ligada, por muitos analistas, a redução de custos, principalmente, em épocas de crise econômica. Assim, além de diminuir os gastas, a margem de lucro tende a aumentar e, ...

4 dicas para o lojista não errar na Black Friday

A Black Friday cresce a cada ano e vem aumentando cada vez mais sua presença no Brasil. Para as varejistas, a data já se estabeleceu como um evento comercial de referência e os consumidores aguardam a sua chegada para aproveitar as melho...

Varejo paranaense cresce 5,83% no terceiro trimestre

O varejo paranaense cresceu 5,83% no acumulado do terceiro trimestre. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, registra alta de 3,88%. Os dados são da Pesquisa Conjuntural apurada pela Federação do Comér...