NOTÍCIAS

ACIP


Pesquisa aponta alta de 9% no gasto médio para Dia das Crianças

ÚLTIMAS

NOTÍCIAS

O tíquete médio dos presentes para o Dia das Crianças será 9,4% superior em 2018 em relação a 2017, no Estado, de acordo com a sondagem feita pela Fecomércio-PR (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná). No mesmo levantamento feito há um ano, o valor era de R$ 79,53 e passou a R$ 87, puxado pela maior confiança do consumidor e pela disposição em mimar um número maior de pequenos neste ano. 

Mesmo com eventuais inseguranças relativas às eleições no País e à retomada da economia, o índice de paranaenses que pretende presentear a garotada passou de 57,6% em 2017 para 63,1% em 2018, conforme a pesquisa. O resultado é maior também em relação a 2016, quando ficou em 62,0%. 

A escolha será feita pelo adulto em 78,6% dos casos e não serão apenas pais a dar algo às crianças. Tios, padrinhos, amigos ou pessoas que pretendem realizar uma ação social com crianças pobres também declararam interesse. 

A coordenadora de Pesquisas da Fecomércio-PR, Priscila Andrade, afirma que todas as datas comemorativas foram melhores para o setor neste ano, tanto nas sondagens de intenção de consumo quanto no desempenho de vendas. Ela cita que a greve dos caminhoneiros atrapalhou um pouco o resultado no acumulado desde janeiro, por perdas nos meses de maio e junho, quando houve o Dia dos Namorados. "Começamos 2018 com uma alta de 6,54% ante o mesmo período de 2017 e estamos com 4,39%. A boa notícia é que as pessoas vão gastar mais e não será só para os filhos, mas para sobrinhos e amigos." 

O consultor econômico da ACIL (Associação Comercial e Industrial de Londrina), Marcos Rambalducci, afirma que também na cidade há perspectiva de aumento das vendas e do tíquete médio, em valor próximo ao indicado pela sondagem da Fecomércio-PR. "Estamos trabalhando com uma estimativa de venda de alta de 7% nas vendas sobre o ano passado, baseada na sensibilidade dos comerciantes e pela melhora no humor dos consumidores." 

O economista lembra que Londrina contou com abertura de vagas no mês passado, em serviços e comércio, além do saldo de vagas na indústria da região também ter ficado positivo. "A expectativa para o fim de ano é de mais postos temporários do que em 2017, o que gera uma expectativa positiva para comerciantes e consumidores", cita Rambalducci. 
 
Vários segmentos

Brinquedos continuam a ser os preferidos para 66,1% dos consumidores. Nesta sondagem, a Fecomércio-PR resolveu apurar a preferência por tipo de item no segmento, com divisão de 33,9% para jogos educativos, 21,2% para bonecas ou bonecos de personagens e 11,0% para outros divertimentos. 

Na sequência aparecem calçados e roupas (40,4%), eletrônicos como tablets, celulares e videogames (13,8%), livros (9,0%). Outros 3,5% darão dinheiro para a criança escolher e 0,5% darão cosméticos, que têm ganhado espaço entre o público infantil. 

No entanto, são mesmo os eletrônicos que registram aumento significativo na preferência para a data. A coordenadora de Pesquisas da Fecomércio-PR afirma que 8,0% declararam que comprariam esse tipo de produto para dar a uma criança em 2017, índice que quase dobrou, para 13,8% neste ano. Tratam-se de itens com valor médio maior também.

Fonte: Folha de Londrina
Últimas Noticias
Governo publica regras para declaração do Imposto de Renda 2019

A Receita Federal divulgou nesta sexta-feira as regras para declaração do Imposto de Renda de 2019. A apresentação da declaração do IR 2019, ano-base 2018, começa no dia 7 de março e se estende at&eacu...

Por que sua empresa deve investir em benefícios corporativos?

Um estudo publicado pelo grupo de recrutamento Page Talent indica que jovens nascidos a partir de 1990 são cada vez mais atraídos por empresas que oferecem benefícios corporativos. Já a comunidade de carreiras Love Mondays revela...

Falta de comunicação gera prejuízo

Fatores externos, como crises políticas e econômicas, atingem em cheio os resultados de indústrias e empresas brasileiras. Porém, para além disso, questões internas também são fatores que atrapalham, e ...