NOTÍCIAS

ACIP


Paraná soma 55 mil pequenas empresas devedoras do Simples

ÚLTIMAS

NOTÍCIAS

O Paraná tem 55,3 mil micro e pequenos empresários entre os 716,9 mil que foram notificados em todo o Brasil pela Receita Federal até a última segunda-feira (17), por inadimplência em impostos previdenciários e não previdenciários, segundo balanço regional divulgado na quarta-feira (19) pelo órgão. A dívida dos paranaenses soma R$ 1,3 bilhão do montante total no País, de R$ 19,5 bilhões. Caso não paguem ou negociem o parcelamento, os empreendedores notificados correm o risco de exclusão do Simples Nacional a partir de janeiro de 2019, o que representaria a migração para outros regimes fiscais, que contam com cobrança até 18% maior de tributos. 

Os devedores receberam um ADE (Ato Declaratório Executivo) de exclusão no DTE-SN (Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional) até a última segunda-feira. Os contribuintes têm a opção de regularizar a totalidade dos débitos à vista, em parcelas ou por compensação. 

Para verificar a própria situação, basta acessar o Portal do Simples Nacional ou optar pelo Atendimento Virtual (e-CAC), no endereço eletrônico da Receita Federal, mediante certificado digital ou código de acesso. O prazo para consultar o ADE é de 45 dias a partir da disponibilização no DTE-SN e o prazo para pagamento ou negociação é de 30 dias após o acesso. 

O gerente do Sebrae em Curitiba, César Rissete, afirma que a orientação para os micro e pequenos empresários é que façam o levantamento financeiro do próprio negócio, para identificar se houve o que prejudicou o fluxo de caixa nos últimos meses e como é possível solucionar o problema. "É preciso saber se aumentou o custo ou se as vendas caíram, por exemplo, para definir se é possível buscar novos mercados, mudar de fornecedores, reduzir gastos com aluguel ou até mesmo pessoal, além de buscar a negociação de prazos mais longos para dívidas antigas." 

Caso contrário, ele diz que é possível que o empreendedor fique sem condições de manter a empresa aberta no ano seguinte. "Dependendo do faturamento, essa diferença de custo para outros regimes tributários pode ser de 18%. É preciso fazer essa conta para se regularizar", diz Rissete. "Se for excluído do Simples no ano que vem e tiver de fechar, também terá muitos custos com funcionários e débitos", completa. 

Para o presidente do Sescap (Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas e de Serviços Contábeis de Londrina e Região), Marcelo Odeto, o problema é grande porque essa inadimplência alta é fruto da crise econômica dos últimos anos. "A primeira coisa que o empresário deixa de pagar é o imposto. Ele opta por quitar dívidas com fornecedores, porque não pode ficar sem insumos, depois com os funcionários, e o restante vai pagando conforme ele precisar." 

Odeto também orienta os clientes a buscar a negociação, porque diz que a migração de regime inviabilizaria um negócio que já enfrenta dificuldades. "Esses são aqueles que resolvem tocar até quando conseguirem ou que abandonam a empresa", diz. Ele também critica o prazo de 30 dias dado pelo governo. "Se excluir esses devedores do Simples, vai virar um caos. Ninguém deixa de pagar uma conta porque quer, mas é preciso optar pelas prioridades", diz, ao lembrar que as micro e pequenas empresas estão entre as que mais empregam. 
 
Por cidade

Das 55,3 mil ADEs direcionadas a pequenas e médias empresas inadimplentes, 16,9 mil estão em Curitiba. A soma das dívidas dos empreendedores curitibanos é de um terço do total, com R$ 454,7 milhões. Na sequência, aparecem Maringá, com 5 mil devedores e R$ 132,3 milhões em débitos; Londrina, com 5 mil e R$ 129,9 milhões; e Ponta Grossa, com 3,2 mil e R$ 75,8 milhões.

Fonte: Folha de Londrina
Últimas Noticias
Receita vai premiar empresas boas pagadoras de impostos

A Receita Federal implementará um programa para premiar empresas que são boas pagadoras de impostos, dando prioridade a suas restituições, crédito tributário e atendimento.

Em nota divulgada nesta quinta-f...

63% trabalham com celular fora da empresa

Pelo menos seis em cada dez brasileiros costumam utilizar smartphones para fins profissionais mesmo fora do horário de trabalho. Por outro lado, mais de 70% resolvem questões pessoais através do aparelho durante o expediente.

...

Entenda como fazer uma boa gestão financeira na empresa

O setor financeiro de uma empresa requer muita atenção. É ele quem gere os recursos disponíveis, alocando e distribuindo para os demais setores. Uma gestão financeira eficiente é necessária para a sustenta&cc...